Fraude no cartão private label: como se proteger?

fraude-private-label

Dentre os cartões, o private label é uma dos mais seguros. Isso porque, para aprová-lo é necessário colher diversos dados dos clientes, tornando mais fácil a identificação de comportamentos suspeitos.

No entanto, não é possível afirmar que ele é 100% seguro. Afinal, assim como a tecnologia está evoluindo cada vez mais rápido, o mesmo acontece com técnicas e ferramentas dos cybercriminosos, que estão muito mais sofisticadas. 

Portanto, é fundamental que as empresas estejam preparadas para lidar com a fraude no cartão private label, investindo mais na segurança dos processos. 

Quer saber mais sobre como proteger suas vendas? Acompanhe o artigo até o final. 

Quais são os riscos?

A aprovação de crédito para esse tipo de cartão, geralmente, é, de fato, um pouco mais seletiva. No entanto, esse processo vem ganhando agilidade. Afinal, toda empresa quer aumentar seu número de clientes e, consequentemente, realizar mais vendas. 

Mas, mesmo que seja um pouco mais seguro, o risco de fraude no cartão private label ainda existe e não é muito menor se comparado com os outros tipos de cartões. 

Na prática, um dos principais fatores que colaboram para a incidência de golpes é justamente a rápida aprovação de crédito. Caso a análise não seja feita da forma correta ou cuidadosa o suficiente, a perda financeira já estará decretada desde o momento em que o cartão foi emitido. Isso porque, com o crédito em mãos, o cliente já está apto para realizar compras. 

E, atualmente, o cartão private label não tem mais seu uso limitado a compras na loja física. Ou seja, o consumidor pode utilizar o crédito imediatamente, adquirindo um produto ou serviço através do celular. 

Em síntese, ao mesmo tempo em que ganharam agilidade nos processos e possibilidade de alcançar um público maior, as empresas também se deparam com novos golpes, completamente diferentes dos que eram eventualmente efetivados nas lojas físicas.  

Nesse sentido, a fraude no cartão private label está muito mais ligada ao roubo de dados e informações verídicas, tornando a identificação da compra como suspeita muito mais difícil. 

Neste cenário, o produto é enviado e o pagamento é contestado alguns dias ou semanas depois pelo verdadeiro dono do cartão, gerando assim, um chargeback. Já o prejuízo financeiro fica totalmente por conta da empresa. 

Isso sem contar o dano à imagem, já que o cliente real, ao perceber a compra, passará a olhar com desconfiança para a instituição, diminuindo as chances dele efetuar alguma compra no futuro. 

Além disso, ainda há a chance dele “se tornar um advogado” contra a sua empresa, espalhando o acontecimento nas redes sociais e desaconselhando amigos, parentes e conhecidos a adquirirem seu produto ou serviço. 

Portanto, para evitar a fraude no cartão private label e vender com mais segurança, é preciso que tanto lojas físicas como e-commerce tomem algumas medidas. 

Como evitar fraude no cartão private label?

Para que seja possível minimizar os riscos de fraude no cartão private label, é preciso realizar uma análise cadastral super completa, que averigue a existências de dívidas ativas, cobranças judiciais ou outros indícios de inadimplência. 

Mas, só isso não é suficiente para identificar e prevenir golpes. Também é fundamental contar com uma ferramenta que analise todo o histórico de compra e as preferências do consumidor, para que seja possível avaliar se a ação atual é correspondente ou se é um comportamento suspeito. 

Além disso, em um ambiente digital, é imprescindível que o sistema escolhido forneça outros meios de validação e identificação, para que a loja seja capaz de detectar se o usuário que está fazendo a compra é realmente o dono do cartão. 

Com essa tecnologia em mãos, o risco de fraude no cartão private label é totalmente minimizado não apenas em situações pontuais, mas também em casos frequentes nos quais o golpista já possui histórico de solicitações de chargebacks em outros estabelecimentos. 

Dessa forma, a sua empresa não precisa tornar o processo de aprovação mais rigoroso, o que, inclusive, pode acabar atrapalhando muito as vendas, já que clientes reais podem acabar sendo barrados de efetuar compras. Ou seja, é um modo ineficiente de resolver o problema, já que provavelmente irá gerar muitos falsos positivos

Portanto, o ideal é contar com um sistema antifraude completo, que forneça integração com meios de pagamento e possua diferentes funcionalidades voltadas para  a prevenção e identificação de risco de fraude no cartão private label, como:

  • Biometria facial: uma selfie é solicitada na hora e a foto é analisada com o auxílio de um banco de dados;
  • Fingerprint: os dados do dispositivo utilizado para realizar a transação são capturados para que o sistema busque por históricos de fraude;
  • Validação de e-mail, Token e Quiz: juntos, formam uma barreira de proteção mais forte, evitando que criminosos consigam realizar compras com dados roubados.

Todas essas funcionalidades mencionadas fazem parte do Sistema de Prevenção à Fraude da B2e Group, que, além dessas, possui outras aplicações sofisticadas para manter o seu negócio protegido da fraude no cartão private label.

Venda com mais segurança. Conheça nossa solução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe:

Outros Posts

Pedidos rejeitados indevidamente

Pedidos rejeitados indevidamente são aqueles cujo cliente, que teve o pedido rejeitado, mantem histórico positivo no mercado após ter sido rejeitado em sua empresa. Frequentemente

Leia mais »