Crescimento do E-Commerce e maior ataque de fraudadores.

ecommerce-fraude-riscos

O ano de 2015 sem dúvida nenhuma, foi de grande importância para o E-Commerce nacional. O setor obteve um crescimento de 22% em relação a 2014, faturando R$ 48,2 bilhões segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico. Para 2016 o crescimento não para- espera-se um aumento de 18% e um faturamento na casa dos R$ 56,8 bilhões.

Muito desse crescimento deve-se a aposta do empresário, em querer investir em uma loja virtual, deixando de “ lado “ a prioridade em ter uma loja física. Sem dúvida nenhuma que para o E-Commerce, não há fronteiras quando queremos fazer negócios.

Claro que com o crescimento do setor, vem com ele também o ataque dos oportunistas. Hoje sabemos que quase 80% dos pagamentos on-line são feitos via cartão de crédito, o que é um prato cheio para quem esta mal intencionado. É um atrativo para clonar cartões, validar dados (RG, CPF), verificar se o cartão tem limite, etc. É uma infinidade de possibilidades.

Por que a fraude cresce tanto?

Podíamos aqui elencar uma série de informações, para tentar responder a pergunta acima, mas vou tentar explanar os principais pontos.

Primeiro: O golpista tenta entrar onde lhe é mais conveniente. Quanto maior o número de lojas virtuais, maior a concentração de dados disponíveis, e consequentemente maior serão suas chances de “ jogar a isca e pescar o peixe “. Enquanto discutimos a melhor forma de nos proteger, na contramão estão os fraudadores avaliando o melhor jeito de fraudar!

Segundo: O Comércio Eletrônico de uma certa forma é muito novo, e por ser recente não temos uma lei rígida que puna os golpistas. Já escutei de um lojista que, ficaria mais barato deixar a fraude “ passar “, do que contratar um advogado e requerer o prejuízo. De uma forma geral a legislação não sabe como atuar em caso de fraudes no E-Commerce, por mais que saiba como ocorreu todo processo.

Por isso cada vez mais os E-Varejistas procuram soluções de análise de risco, para que possam se proteger dos ataques que são recorrentes e que esta longe de ter seu fim anunciado. Dessa forma é minimizado seu risco, protege o cliente bom e faz com que sua marca seja lembrada de forma positiva.[:en]ecommerce-fraude-riscos

O ano de 2015 sem dúvida nenhuma, foi de grande importância para o E-Commerce nacional. O setor obteve um crescimento de 22% em relação a 2014, faturando R$ 48,2 bilhões segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico. Para 2016 o crescimento não para- espera-se um aumento de 18% e um faturamento na casa dos R$ 56,8 bilhões.

Muito desse crescimento deve-se a aposta do empresário, em querer investir em uma loja virtual, deixando de “ lado “ a prioridade em ter uma loja física. Sem dúvida nenhuma que para o E-Commerce, não há fronteiras quando queremos fazer negócios.

Claro que com o crescimento do setor, vem com ele também o ataque dos oportunistas. Hoje sabemos que quase 80% dos pagamentos on-line são feitos via cartão de crédito, o que é um prato cheio para quem esta mal intencionado. É um atrativo para clonar cartões, validar dados (RG, CPF), verificar se o cartão tem limite, etc. É uma infinidade de possibilidades.

Por que a fraude cresce tanto?

Podíamos aqui elencar uma série de informações, para tentar responder a pergunta acima, mas vou tentar explanar os principais pontos.

Primeiro: O golpista tenta entrar onde lhe é mais conveniente. Quanto maior o número de lojas virtuais, maior a concentração de dados disponíveis, e consequentemente maior serão suas chances de “ jogar a isca e pescar o peixe “. Enquanto discutimos a melhor forma de nos proteger, na contramão estão os fraudadores avaliando o melhor jeito de fraudar!

Segundo: O Comércio Eletrônico de uma certa forma é muito novo, e por ser recente não temos uma lei rígida que puna os golpistas. Já escutei de um lojista que, ficaria mais barato deixar a fraude “ passar “, do que contratar um advogado e requerer o prejuízo. De uma forma geral a legislação não sabe como atuar em caso de fraudes no E-Commerce, por mais que saiba como ocorreu todo processo.

Por isso cada vez mais os E-Varejistas procuram soluções de análise de risco, para que possam se proteger dos ataques que são recorrentes e que esta longe de ter seu fim anunciado. Dessa forma é minimizado seu risco, protege o cliente bom e faz com que sua marca seja lembrada de forma positiva.

[:es]ecommerce-fraude-riscos

O ano de 2015 sem dúvida nenhuma, foi de grande importância para o E-Commerce nacional. O setor obteve um crescimento de 22% em relação a 2014, faturando R$ 48,2 bilhões segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico. Para 2016 o crescimento não para- espera-se um aumento de 18% e um faturamento na casa dos R$ 56,8 bilhões.

Muito desse crescimento deve-se a aposta do empresário, em querer investir em uma loja virtual, deixando de “ lado “ a prioridade em ter uma loja física. Sem dúvida nenhuma que para o E-Commerce, não há fronteiras quando queremos fazer negócios.

Claro que com o crescimento do setor, vem com ele também o ataque dos oportunistas. Hoje sabemos que quase 80% dos pagamentos on-line são feitos via cartão de crédito, o que é um prato cheio para quem esta mal intencionado. É um atrativo para clonar cartões, validar dados (RG, CPF), verificar se o cartão tem limite, etc. É uma infinidade de possibilidades.

Por que a fraude cresce tanto?

Podíamos aqui elencar uma série de informações, para tentar responder a pergunta acima, mas vou tentar explanar os principais pontos.

Primeiro: O golpista tenta entrar onde lhe é mais conveniente. Quanto maior o número de lojas virtuais, maior a concentração de dados disponíveis, e consequentemente maior serão suas chances de “ jogar a isca e pescar o peixe “. Enquanto discutimos a melhor forma de nos proteger, na contramão estão os fraudadores avaliando o melhor jeito de fraudar!

Segundo: O Comércio Eletrônico de uma certa forma é muito novo, e por ser recente não temos uma lei rígida que puna os golpistas. Já escutei de um lojista que, ficaria mais barato deixar a fraude “ passar “, do que contratar um advogado e requerer o prejuízo. De uma forma geral a legislação não sabe como atuar em caso de fraudes no E-Commerce, por mais que saiba como ocorreu todo processo.

Por isso cada vez mais os E-Varejistas procuram soluções de análise de risco, para que possam se proteger dos ataques que são recorrentes e que esta longe de ter seu fim anunciado. Dessa forma é minimizado seu risco, protege o cliente bom e faz com que sua marca seja lembrada de forma positiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin

Outros Posts

B2e Cases – Camil

Dando sequência no nosso projeto, o B2e Cases, hoje vamos falar de outros segmentos: Grãos, açúcar e pescados.  E não tem como falarmos desses segmentos

Leia mais »

Nos Envie Uma Mensagem