Vendas Online no varejo – 2019-2020

vendas online

A pandemia provocou impactos jamais vistos no mundo do comércio.  A paralisação da economia vivenciada no ano de 2020 desencadeou consequências graves que custaram o negócio de muitas pessoas. Da mesma forma, a pandemia também trouxe novos hábitos e tendências. Quando se trata do varejo, principalmente do varejo digital, esses novos hábitos são ainda mais evidentes.

A COVID-19 impactou severamente em todos os setores da economia, de modo que os pequenos comércios e aqueles que não comercializavam produtos considerados essenciais precisaram fechar suas portas e se adequar às novas necessidades. É por esse e por outros motivos que 2020 foi um ano de muitas mudanças e adaptações. Grande parte do que era considerado normal e seguro passou a representar uma verdadeira ameaça para a saúde pública, tanto que uma simples visita a uma loja física se tornou algo arriscado.

Vendas Online – Uma necessidade

Diante dessa nova realidade, as relações comerciais passaram a acontecer, prioritariamente, através do mundo online, potencializando os negócios digitais e as lojas que já apostavam no e-commerce. Aquelas empresas que ainda não faziam uso das ferramentas digitais precisaram se adaptar rapidamente para evitar maiores prejuízos e assegurar sua posição competitiva no mercado.

Já as organizações que vivenciavam o processo de transformação digital, ao contrário do que se pode imaginar, também foram igualmente impactadas por este novo panorama econômico e tiveram que se apressar para atender às novas exigências do mercado diante de um cenário instável.

Apesar de tantas mudanças repentinas, é certo que elas também trouxeram impactos positivos, principalmente para promover o crescimento do comércio online. Prova disso é que, de acordo com a 42ª edição do Webshoppers, as vendas online ultrapassaram o recorde de faturamento dos últimos 20 anos, apresentando um crescimento de 9% quando comparado a 2019. O relatório elaborado pela Ebit – Nielsen também destacou um crescimento de 40% em relação ao número de consumidores, considerando que mais pessoas optaram por realizar compras virtualmente.

Todos esses dados demonstram o crescimento exponencial experimentado pelo e-commerce, uma consequência imediata da evolução tecnológica impulsionado pela pandemia COVID-19. Isso foi responsável por construir uma realidade totalmente diferente para o mundo digital no ano 2020, criando precedentes para as tendências que serão (e já estão sendo) verificadas em 2021.

Para entender melhor as principais questões que ganharam destaque nesse cenário completamente novo, é preciso considerar alguns aspectos importantes e que serão pontuados logo abaixo. Vamos a eles.

1 – COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR

Em primeiro lugar, um dos aspectos mais influenciados por essas novas circunstâncias foi o comportamento do consumidor. Além de estarem presentes no mundo digital realizando as suas compras e vendas online, também se percebeu uma forte preferência desses consumidores pela aquisição de produtos de higiene e acessórios para casa.

A justificativa para essa preferência pode ser facilmente arriscada pela situação sanitária em que o país se encontra. Os produtos de higiene perceberam uma grande alta como uma resposta a uma necessidade maior de assepsia em razão da disseminação do coronavírus e os acessórios domésticos, possivelmente, se mostram como uma demanda de pessoas que estão muito mais tempo em casa.

2 – POPULARIZAÇÃO DO E-COMMERCE

            Uma das mais evidentes marcas de 2020 foi a acelerada migração de muitas lojas para o mundo digital. Essa busca acelerada por se posicionar competitivamente no e-commerce foi provocada pela necessidade de se reinventar e tentar driblar os desafios econômicos impostos pela paralização das atividades não essenciais. Como evidência disso, é possível destacar a pesquisa Perfil do E-commerce Brasileiro que constatou o recorde de lojas atuando por meio do e-commerce: um quantitativo superior a 1,3 milhões de lojas, algo realmente surpreendente.

3 – VALORIZAÇÃO DO COMÉRCIO LOCAL

            De forma indiscutível, os comércios de todos os tamanhos e tipos sofreram um enorme impacto em razão das alterações vividas em 2020. É igualmente indiscutível que os pequenos comerciantes e empreendedores foram e são os mais impactados, gerando um movimento forte por sua valorização. Uma das maiores plataformas de delivery de comida, por exemplo, passou a incentivar as entregas de bicicleta e a compra de comida por restaurantes pequenos, incluindo em seu aplicativo uma mensagem de apoio a esses comerciantes.

4 – PRODUTOS E SERVIÇOS PELA VIA DIGITAL

            O acesso ao e-commerce cresceu muito no último ano, como já foi visto anteriormente. É interessante verificar que, a partir desse crescimento, a forma como é realizado o acesso para as compras virtuais também passou por mudanças. A Comscore Brasil apurou, em suas pesquisas, que de todos os usuários que acessam sites para a realização de compras, 72% o fazem por meio de dispositivo móvel.

5 – O “BOOM” DOS APLICATIVOS DE DELIVERY

            Uma das consequências mais perceptíveis das mudanças vivenciadas em 2020, um dos maiores destaques é o crescimento das compras por meio de aplicativos de delivery. Aproximadamente mais de 70% de todos os consumidores passaram a utilizar ou utilizaram muito mais os aplicativos de entrega, com destaque para as entregas de mercado ou de comida, como um reflexo na fuga dos aglomerados dos restaurantes e supermercados.

6 – O SURGIMENTO DO PIX

            Nas transações bancárias, o aprimoramento das tecnologias digitais também foi percebido. Apesar do PIX não estar imediatamente relacionado com os impactos provocados pela pandemia, é certo que esse novo meio de pagamento do Banco Central facilitou – e muito! – a vida das pessoas e evitou a procura pelos locais físicos de pagamento, como as lotéricas. Essa nova alternativa de fazer e receber pagamentos permite que as transações realizadas sejam instantâneas, em até 10 segundos, no período de 24 horas, durante os sete dias da semana, incluindo finais de semana e feriados.

            Com tantas inovações, fica claro que 2020 apresentou um cenário muito diferente do que se via em 2019. Muitos especialistas entendem que, depois de todas as adaptações inevitáveis, o mundo jamais voltará a ser o mesmo, porque vários hábitos adotados no decorrer da quarentena serão mantidos pelas pessoas. As vendas online, provavelmente, são o maior exemplo dessa mudança de hábitos que veio para ficar. É justamente por esse motivo que imergir no mundo digital deixou de ser uma escolha e passou a ser uma verdadeira necessidade.

E-commerce: Como garantir a segurança das vendas?

Ao mesmo tempo em que a presença digital de lojas e clientes aumenta, as tentativas de fraude também continuam a crescer. E para garantir que as lojas não tenham prejuízo por conta de chargeback e falsos positivos, mantendo a experiência de venda positiva tanto para o lojista quando para o consumidor, um investimento que se tornou extremamente necessário é o de um sistema de prevenção à fraudes.

E é aqui que a B2e Group atua! Somos especialistas em prevenção à fraudes, garantindo que suas vendas online sejam sempre seguras e rápidas, além de oferecer uma experiência de compra de qualidade para seus consumidores. Quer conhecer mais sobre nossa solução? Então fale com um de nossos consultores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin

Outros Posts

B2e Cases – TudoAzul

Hoje, iniciamos nosso novo projeto: O B2e Cases! A B2e Group é responsável pela segurança dos maiores programas de fidelidade do Brasil, protegendo companhias aéreas,

Leia mais »

Nos Envie Uma Mensagem