Como calcular a renda presumida?

Renda Presumida, como o próprio nome diz, tem como objetivo presumir e estimar a faixa de renda de um indivíduo. Na análise e gestão de crédito, é uma variável específica, e se bem utilizada, torna-se bastante complementar ao score de crédito nas políticas de decisão.

A renda presumida é um modelo estatístico que estuda uma série de variáveis cadastrais e demográficas para estimar a faixa de renda do consumidor. Utiliza informações como região, profissão, idade, sexo, dentre outras.

Hoje, vamos fazer algumas considerações sobre o tema, que servirão para compreender mais adequadamente os modelos de renda presumida. Traremos algumas situações de uso, os benefícios e as informações que são pertinentes para o desenvolvimento desse assunto. Vamos lá?

Quando usar a Renda Presumida?

A renda presumida é bastante utilizada como uma variável na definição dos limites de crédito, relacionada ao poder de compra do consumidor, ajudando a estabelecer a capacidade de pagamento do indivíduo.

No mercado financeiro é muito comum as instituições solicitarem ao tomador/consumidor sua profissão e renda no processo de abertura de crédito. Nesse momento a renda presumida torna-se uma variável bastante útil.

De maneira prática, ela permite ao gestor de crédito checar as informações apresentadas pelo consumidor, comparando o valor declarado com o valor da renda presumida. Com isso, é possível utilizar uma série de lógicas para apurar a veracidade dos dados, definir limites e até dispensar a apresentação do documento de comprovação de renda.

Também pode ser utilizada na revisão periódica dos limites de crédito, visando o direcionamento e a personalização de novas ofertas aos clientes que possuem perfil adequado e apresentem menor risco de inadimplência.

Além das situações mencionadas, a renda presumida pode ser utilizada na recuperação do crédito, auxiliando a calcular a capacidade de pagamento dos devedores, otimizando os esforços e permitindo direcionar mais adequadamente os acordos de pagamento e as negociações das dívidas vencidas.

Ela substitui uma comprovação de renda confiável?

Esse é um questionamento recorrente que recebemos de gestores de crédito. Ter um entendimento correto faz toda a diferença no processo de tomada de decisões e na própria utilização da informação. Como já mencionado, a renda presumida é apenas um parâmetro, uma variável que viabiliza estimar a renda do consumidor. Esse tipo de aferição de renda não tem por objetivo apresentar um resultado exato e completamente assertivo, se assim fosse, seria substituído o termo “renda presumida” por “renda comprovada”, sendo importante frisar que os modelos são construídos com informações sólidas e são amplamente testados.

Uma boa forma de validar a eficiência do modelo em sua operação de crédito é realizar um teste de aderência. Abaixo, uma forma muito utiliza pelo mercado:

  • Pegue uma amostra de clientes da sua base que possuam a informação de renda declaradamente comprovada (aqueles que apresentaram o documento de comprovação válido);
  • Enriqueça essa base com os valores retornados pelo modelo de renda presumida;
  • Compare os valores comprovados com os valores presumidos;
  • O resultado dessa comparação vai trazer a aderência do modelo.

Essa aderência é uma importante informação para auxiliar gestores de crédito na tomada de decisão sobre dispensar ou não a apresentação da comprovação da renda.

Análise de Crédito

Além da análise de crédito, quais os benefícios de se utilizar o modelo da Renda Presumida?

Dentre os diversos benefícios que caracterizam o modelo da renda presumida, é preciso destacar alguns que servem para compreender a importância de utilizá-lo.

Assertividade na tomada de decisões: a adoção do modelo de renda presumida em um processo automatizado se destaca por possibilitar tomadas de decisões rápidas, consistentes e efetivas, assegurando maior fidelidade dos dados e assertividade nos pareces de crédito.

Prevenção de fraudes: a utilização desse modelo permite direcionar o nível de cuidado e atenção na validação do comprovante de renda apresentado pelo consumidor. Em alguns casos os comprovantes são falsificados pelo mesmo, com o objetivo de conseguir um limite de crédito superior à sua capacidade de pagamento.

Auferir renda para autônomos e profissionais liberais: o modelo permite que seja possível presumir a renda para os consumidores que não possuem um vínculo formal de emprego e assim maior dificuldade de comprovar a renda, possibilitando contemplá-los com limites de crédito personalizados.

Segurança: permite conceder e ajustar os limites de crédito, aprimorando as políticas de decisão.

Idealização de estratégias de recuperação de crédito: com a renda presumida se faz possível o estabelecimento de estratégias que se adequem aos propósitos de quem realiza a cobrança. A personalização das estratégias agrega assertividade ao processo de cobrança e resulta na apuração de melhores indicadores de inadimplência.

Concluindo, é importante salientar que a utilização do modelo de renda presumida melhora a capacidade de identificar o perfil financeiro do consumidor, isso faz diferença nos processos decisórios de vendas, crédito e cobrança.

A B2e Group

A B2e Group possui um modelo de renda presumida sólido, assertivo e fundamentado na experiência adquirida dentro dos 8 anos que estamos no mercado. Nosso modelo é responsável pela segurança nas vendas de diversos clientes, garantindo que vendam mais e para os clientes certos. Seja você também um parceiro da B2e Group, e surpreenda-se com o que podemos fazer pela sua empresa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin

Outros Posts

B2e Cases – TudoAzul

Hoje, iniciamos nosso novo projeto: O B2e Cases! A B2e Group é responsável pela segurança dos maiores programas de fidelidade do Brasil, protegendo companhias aéreas,

Leia mais »

Nos Envie Uma Mensagem