Segurança: Melhorando o rankeamento do seu E-commerce

Você, que tem um e-commerce ou trabalha para algum, já sabe que suas vendas chegam, em grande maioria, através de buscas no Google, certo? Alguém digitou algumas palavras-chave que se relacionam com o seu negócio e encontrou sua página como uma das opções para solucionar a necessidade de compra. Até que você percebe que poderia vender mais, se estivesse algumas posições acima na primeira página de buscas do Google.

“Mas eu já tenho minhas estratégias de SEO, já faço o melhor uso da minha página, seguindo todas as dicas e recomendações para ter uma página com um resultado melhor. Não sei o que mais pode influenciar para estar tão abaixo!”. Bom, pode não ser o seu caso, ou pode, mas trabalhar na segurança do seu e-commerce influência no desempate na hora da classificação dos sites, sabia?

Isso se dá porque o Google sempre tenta trazer, além das páginas mais relevantes, pertinentes e trabalhadas, as páginas que trarão uma melhor experiência para os consumidores. E como o maior medo dos clientes de e-commerce é o de ter seus dados roubados ao fazer uma compra na internet, um site que não oferece uma segurança forte perde pontos no rankeamento por não atingir exatamente esse último ponto, que é a experiência positiva na hora da compra. Afinal, um cartão clonado pode dar muita dor de cabeça, e ter que sair cancelando cartões e criando novos é a última coisa que seus clientes vão querer fazer, e mesmo não sendo você a pessoa que clonou, vão colocar a culpa em você (na sua empresa, no caso). E a última coisa que alguém de qualquer tipo de comércio pode querer é seu nome sendo mal falado em ambientes como o Reclame Aqui, por exemplo.

Mas aí você nos pergunta “Qual o padrão Google de segurança?”. Vamos começar explicando agora:

Tenha um certificado SSL

O certificado Secure Socket Layer, que tem como função embaralhar os dados com uma chave de acesso que só pode ser acessada e entendida pelo servidor, é um primeiro passo. Assim, no caso de algum ataque de hacker ou fraudador, os mesmos não conseguirão traduzir o conteúdo. Esse certificado, o SSL, é utilizado pelo Google como um dos critérios de desempate entre os sites com nota parecida nas análises de SEO, então se sua empresa não utiliza um desses, é hora de atualizar algumas coisas!

Previna-se com um WAF

Primeiramente, o que é um WAF? É um firewall que protege os servidores do seu site. Basicamente, ele faz um filtro de entrada e saída dos usuários e registra qualquer tentativa de ataque ou ameaça ao e-commerce em questão. E ao fazer isso, elimina alguns usuários do sistema, o que, como sabemos, ajuda a manter o site com uma velocidade maior! Ou seja, além de ficar seguro, você ainda otimiza o rendimento da sua página e seu rankeamento no Google.

Contrate um antifraude!

Depois de tudo mencionado até agora, fica fácil entender o motivo de prezar pela segurança do seu site, certo? Mas se você ainda precisa ser convencido, vai ai um último argumento. Já sabemos que a segurança ajuda seus clientes a continuarem comprando ou novos clientes começarem a comprar com você, que com um nível menor de problemas você tem um número menor de consumidores falando mal da sua empresa e que seu posicionamento no ranking do Google fica melhor, mas isso tudo quer dizer o que? Que você deve manter um bom relacionamento com seus clientes e possíveis novos clientes, e claro, a segurança faz parte essencial disso. Mas como você vai fazer isso se precisa analisar compra a compra, uma por uma, para manter um bom relacionamento com todos eles, garantindo que a compra é verdadeira? Simples, VOCÊ não vai, mas uma empresa como a B2e, que oferece um serviço de Antifraude, vai! Nós analisamos milhares de compras, utilizando tecnologia para deixar tudo o mais assertivo possível e evitando danos indesejados, cuidando do seu e-commerce enquanto você se preocupa em aumentar suas vendas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe:

Outros Posts

Pedidos rejeitados indevidamente

Pedidos rejeitados indevidamente são aqueles cujo cliente, que teve o pedido rejeitado, mantem histórico positivo no mercado após ter sido rejeitado em sua empresa. Frequentemente

Leia mais »