Brasil é o segundo país com maior índice de fraude em cartões

De acordo com um estudo realizado pela ACI, em parceria com o Aite Group, foi indicado que quase metade dos brasileiros (49%) afirmaram que já sofreram alguma fraude com cartão entre 2011 e 2016. Um dos grandes motivos para essa quantidade de pessoas já terem sido vítimas de fraude é o “comportamento de risco” que nós, brasileiros, cultivamos. Esse comportamento de risco se baseia em atitudes que podem comprometer a segurança de nossos dados, e muitas vezes acontecem por atitudes que poderiam ser evitadas, como deixar o celular desbloqueado ou deixar à vista papéis com dados sobre sua conta.Esses são caminhos diretos para pessoas mal intencionadas terem acesso às contas de banco, investimentos, redes sociais e aplicativos de compra online.  

 

Essa pesquisa foi realizada em 20 países, e apontou que as fraudes em cartão de crédito se mostram como algo crescente no mundo inteiro. Os líderes desse ranking são México, Brasil e Estados Unidos, enquanto os países com menor índice de fraudes são Holanda e Hungria, sendo a última a com menor, com 9%. Com esse resultado, podemos perceber que investir em soluções de prevenção de fraude está se tornando algo cada vez mais necessário, pois oferece uma garantia de uma segurança maior para seus dados. E além disso, outro desafio é o de encontrar instituições que consigam atender seus clientes de um modo que proporcione uma experiência positiva e que eduque seus consumidores, ao invés de só irem atrás de resolver o problema após já ter acontecido. É bastante perceptível que o povo brasileiro precisa de uma maior educação financeira, principalmente na aula de segurança.

 

Atendimento pós-fraude

E essa educação financeira se mostra ainda mais essencial quando, além de passar pela situação de ter sido vítima de fraude, os consumidores do Brasil encontram um outro problema na hora de tentar resolver o ocorrido. Quando se trata do tratamento oferecido pelos bancos após o cliente passar por essa experiência, o Brasil é o país que possui a maior quantidade de clientes que se declararam insatisfeitos com o resultado final. Muitos consumidores acabam trocando de banco após o tratamento recebido durante seu atendimento, esperando que seja diferente em outro banco que for cliente.

E ainda assim, a grande maioria acredita que, apesar de estarem insatisfeitos, o banco tentou o seu melhor para resolver a situação, apesar de sair insatisfeito com o resultado, o que apresenta um certo comodismo da população ao apenas “aceitar” que saiu na pior e não fazer nada a respeito. De forma global, 14% dos consumidores não confiam que seus bancos estão tentando protegê-los contra a fraude, e acabam mudando, visto que 1 a cada 5 pessoas muda de banco após passar por uma situação de fraude por estar insatisfeito com o resultado final.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe:

Outros Posts

Pedidos rejeitados indevidamente

Pedidos rejeitados indevidamente são aqueles cujo cliente, que teve o pedido rejeitado, mantem histórico positivo no mercado após ter sido rejeitado em sua empresa. Frequentemente

Leia mais »